Conheça a espantosa Yakutsk, na Sibéria.

Absurdos 64°C negativos. Essa é a temperatura que os termômetros de Yakutsk, na Sibéria, chegam a marcar nos piores dias do inverno local. A capital da república da Iacútia, na Rússia (onde a federação é dividida em repúblicas), é sem dúvida a cidade mais fria do planeta.

O frio e o gelo perduram por boa parte do ano – oito meses ao todo. As condições climáticas da cidade se aproximam àquelas experimentadas no Círculo Polar Ártico, que fica a 450 km de distância dali. A população, que excede os 200 mil moradores, passa seus dias migrando entre ambientes fechados, artificialmente aquecidos, evitando passar muito tempo ao ar livre. Compreensível. As fotos que ilustram essa página, por exemplo, foram tiradas durante o outono (talvez porque no inverno seja impossível sair de casa; nem o sol dá muito as caras nessa época).

Além de deter o título, Yakutsk é a maior cidade construída sobre premafrost, um tipo de solo permanentemente congelado. A maioria das casas, por esta razão, é construída sobre estacas de concreto.

Ninguém está ali de graça, claro. Abaixo de todo o gelo e de alguma terra, encontram-se tesouros: ouro, diamante e outros minerais preciosos. São justamente estes elementos que garantem a economia da região. Indústrias vêm se instalando no local desde o início do século 18. A Alrosa, por exemplo, extrai das minas em Yakutsk uma quantidade de diamantes brutos que corresponde a 20% da exportação internacional da pedra.

O clima é seco e chove apenas durante o curto verão. Mesmo nesta época, a precipitação é rara, já que os ventos vindos do Oceano Pacífico perdem umidade ao encontrar as montanhas costeiras, antes de alcançar o vale Lena, onde a cidade está estabelecida.

A cultura local é muito definida pelo status climático. A moda, por exemplo, é repleta de peles de animais, como lebre, raposa do Ártico e rena. A alimentação é bastante calórica, pois é preciso ingerir muita gordura para resistir às intempéries dia após dia. No cardápio não são raras as iguarias feitas com carne de cavalo. Para beber e aquecer, claro, vodka.

Mesmo quando o entorno sugere que se adote a ibernação, o povo de Yakutsk mantém acordadas a arte e a cultura local. Na cidade há casas de teatro, ópera, balé e alguns museus. É preciso muita força de vontade para encaram uma vida nesta insólita e quase insalubre parte do planeta – algo que estes russos parecem esbanjar.

Fonte: Casa Vogue

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *