Não é apenas no Brasil: Espanha e Itália têm carnavais conhecidos no mundo todo.

 

Em qualquer parte do mundo, revelar que é brasileiro é quase sempre sinônimo de ouvir perguntas sobre o carnaval e o samba. Estereótipos à parte, a festa no Brasil, sobretudo no Rio de Janeiro, é mesmo mundialmente conhecida. Mas ela não é a única. Em muitos outros países a comemoração do carnaval tem tradição centenária e atrai turistas de todas as partes. Espanha, Itália, e Estados Unidos estão entre os países com célebres farras de carnaval. Veja como o carnaval é comemorado em oito cidades do mundo.

O Carnaval em Nova Orleans, chamado de Mardi Gras, está entre as festas mais conhecidas do mundo. Ela se baseia em tradições europeias, mas tem uma forte marca multicultural com raízes africanas e caribenhas. A data do Mardi Gras é determinada de acordo com o calendário cristão. Mardi Gras é o dia antes de quarta-feira de cinzas, dia que é iniciada a Quaresma. Em Nova Orleans, o término do carnaval fecha também a temporada de danças e desfiles que começam no dia seis de janeiro. Desde essa data é possível ver carros alegóricos e danças de máscaras, que ganham as ruas até o fim do carnaval.

Carnaval de Nice, na França, está entre os maiores do mundo, junto com o do Rio de Janeiro e o de Veneza. Ele atrai mais de um milhão de visitantes à cidade durante 15 dias de festa. Os espetáculos, com gigantes carros alegóricos decorados acontecem na Praça Masséna, no centro da cidade. Nos desfiles, participam mais de mil músicos e dançarinos do mundo todo.

O Carnaval de Barranquilha, na Colômbia foi nomeado Obra Maestro de Patrimônio Oral e Intangível da Humanidade pela UNESCO. A festa combina elementos culturais europeus, africanos e indígenas. As festividades católicas trazidas pelos conquistadores espanhóis do velho mundo se misturam com cerimônias aborígenes e com a herança musical dos escravos africanos. O carnaval de Barranquilha começa quatro dias antes da quarta-feira de cinzas, alcançando seu clímax no sábado, durante a Batalha de Flores, tradição da festa local desde o início do século XX.

Carnaval de Santa Cruz de Tenerife, na Espanha, é o segundo mais popular do mundo, perdendo apenas para o do Rio de Janeiro. Ele recebe, junto com a festa em Cádiz, também na Espanha, a máxima atenção para festas por parte do Ministério de Turismo da Espanha. A festa tem duas partes: a festa oficial e a de rua. Na primeira, mais de 100 grupos com cerca de 50 componentes cada um desfilam com fantasias e apresentam músicas. O carnaval na rua tem a participação dos próprios cidadãos na festa. Milhares de pessoas participam da celebração dançando ao som de orquestras locais com ritmos caribenhos e musica eletrônica.

Todo ano cerca de três milhões de turistas vão à cidade italiana de Veneza para participar da tradicional festa de Carnaval, que neste caso, dura 10 dias. Os foliões se fantasiam e saem à rua para passear e fotografar os desfiles. As fantasias geralmente são vestimentas de época do século XVII veneziano. Durante as noites, há festas com danças em salões e desfiles pela cidade. Durante os dias que duram as celebrações, artesãos montam suas tendas na Praça de São Mauricio para fabricar e vender as máscaras típicas da festa veneziana.

Carnaval de Laza, na Espanha, tem como marca registrada os personagens típicos. Dentre eles, o principal é o peliqueiro, folião que usa a máscara típica da festa. No domingo de Carnaval eles vão às ruas e andam como símbolos de poder absoluto na festa. O peliqueiro não fala, apenas caminha aos pulos e dança o tempo todo. O público não pode tocar neles, pois pode receber uma chicotada, embora tenha o direito de atrapalhá-los durante todo o percurso. Na manhã da segunda-feira ocorre a “farrapada”, batalha entre os vizinhos do povoado. Na terça-feira à tarde os foliões leem o Testamento do Burro, no qual são recitados versos com críticas aos acontecimentos mais relevantes do ano.

A cada ano, durante uma semana, as ruas da cidade espanhola de Cádiz ganham um colorido fora do comum. Milhares de visitantes do mundo todo visitam a região durante o Carnaval. A festa começa na quinta-feira e dura 10 dias, podendo se estender por mais tempo, por causa dos concursos oficiais que acontecem, no qual competem grupos de cantores.

A cidade de Sitges, na província de Barcelona, na Espanha, tem um carnaval capaz de competir entre os maiores do mundo. A festa anual reúne mais de 300.000 pessoas. A cidade é conhecida historicamente por ter se tornado um refugio contra a intolerância e a censura da época do governo do ditador Francisco Franco. Por isso, Sitges se tornou um dos principais destinos no carnaval para a comunidade gay. Os festivais duram quatro dias e envolvem desfiles de carros alegóricos e fantasias, além de um espetáculo de fogos de artifício. Na quarta-feira de cinzas, num final fora do comum, uma estatua em forma de sardinha é enterrada na praia.

Fonte: Viaje Aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *